O SUPOSTO RACISMO DESTRUINDO O QUE AS MULHERES CONSTRUIRAM.




A mídia enlouqueceu por conta do que acreditam ser racismo. A insanidade é tanta que o clássico "E o Vento Levou" está sendo censurado.
Não restam dúvidas, os néscios julgadores, quando muito, e eu duvido, viram o filme. Mas não leram o livro. Idiotas não leem!
O livro é uma ode à mulher. Uma homenagem a todas as mulheres do mundo. A obra representou o maior avanço social no que hoje chama-se de "empoderamento feminino".
Reparem, a sociedade americana da época não permitia que um mulher contraditasse um homem. Não permitia que uma mulher, num coquetel, comesse. A submissão feminina era total.
Scarlett O'Hara, contrariando todas as convenções, recusava-se a ser como as outras. Ela sabia o valor que tinha.
A passagem na qual a protagonista, arrasada pela fome e miséria, após a Guerra da Secessão Americana, exclama: "Jamais sentirei fome novamente" é uma oração a todas as mulheres do planeta. É um mantra para o sexo feminino.
O que há de concreto em relação aos negros é apenas a História. O drama se passa entre 1861 a 1865 e Scarlett vivia no sul dos Estados Unidos, uma região escravagista. Mais nada!
Quando muito, o livro aponta as injustiças da escravidão, o que é o oposto do racismo em relação aos negros.
Mulheres Universais, não permitam que os exemplos de Scarlett O'Hara sejam jogados no lixo. E, acima de tudo, leiam o livro.

Comentários