Só reclama da liberdade quem a tem!


A liberdade talvez seja o oposto do amor. Este é reclamado quando se não tem, e aquela reclamada quando se tem.
Ninguém que viva em um país sem liberdades clama por liberdade. O grito libertador só sai da garganta dos livres.
Desafio alguém a apresentar um post de um cubano, venezuelano ou norte-coreano (todos morando nos respectivos países!) reclamando de liberdade. Não existe.
Quando o escritor inglês Salman Rushdie publicou “Versos Satânicos” condenando a revolução no Irã em 1979, Ruhollah Khomeini, líder supremo do islamismo instaurado, condenou o escritor à morte. Declarou que era dever de todo muçulmano, em qualquer lugar do mundo, matá-lo. E, com efeito, os radicais islâmicos e os comunistas são irmãos siameses.Não por menos o PT é aliado deles.
Portanto, esses jovens ingênuos que gritam pelos cantos, não conhecem a escravidão socialista. Eles gritam porque podem gritar.
Um fato histórico interessante, William Shakespeare escreveu a peça "O Mercador de Veneza" sem nunca ter conhecido um judeu. O escritor era inglês e durante toda a sua vida não conviveu com os hebraicos, porque este foram expulsos da Inglaterra antes do seu nascimento. No entanto, a peça ataca os povos judaicos.
De forma idêntica são os jovens brasileiro, nenhum deles sequer viu um militar na sua frente, mas não perde a oportunidade de espezinhá-los.


Comentários