STF, o reino da falta de lógica. E, a chegada do novo “Adélio Bispo”.



STF, o reino da falta de lógica. E, a chegada do novo “Adélio Bispo”.


“O Globo” informa que o prédio do STF foi atacado com fogos de artifício. Bom, fogos são fogos. E, exceto os oriundos da Natureza, os demais são “de artifício”. A bomba de Hiroshima era artificial.

De fato! Ataque é agressão, e isso não pode ser admitido num país republicano. Os poderes estatais precisam ser preservados. E o que ocorreu foi um crime grave que deve ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional.

Pois bem, Dias Toffoli, com a “certeza” retirada de uma cartola, disse que os atos foram estimulados por “integrantes do próprio Estado”. Em linguagem clara: Bolsonaro.

Ocorre que um dos agressores foi preso. E, por óbvio, prisão em flagrante. E era caso para o flagrante ser transformado em prisão preventiva, como garantia da ordem pública para assegurar a aplicação da lei penal, pois houve prova da existência do crime e indício suficiente de autoria.

Ora, a prisão desse meliante responderia à leviana questão levantada pelo ministro. Ele – o criminoso -  seria interrogado várias vezes. E, como a prisão não teria um prazo de término estipulado, acabaria dizendo a razão de estar agredindo o STF. A menos que... fosse um Adélio Bispo. E veja que não falo de torturas, e sim da rigorosa aplicação do Código de Processo Penal. 

Mas, não. O meliante foi solto. E agora? Joga fora? Claro que não. Agora fica fácil colocar a culpa em Bolsonaro, pois fica a palavra de um ministro e um vácuo do outro lado. 

Excelentíssimo magistrado, seguindo o seu exemplo direi algo diferente: esse ataque proveio dos opositores de Bolsonaro, para incriminar o Presidente da República.

Estou certo? Não sei. Vossa Excelência tem razão? Não sabemos. Mas há uma diferença entre mim e V.Exª: o senhor poderia manter o “Adélio Bispo” preso. Eu não!

Veja nosso site e fique informado

http://www.cotaperiscopica.com.br/index.php








Comentários